Mary Nymphection

Da wiki KorvusWiki
Ir para: navegação, pesquisa
Maria Ana Flores (Mary Nymphection)


Maria Ana Flores (a.k.a Mary Nymphection) é uma artista/actriz/música multi-instrumentista portuguesa que age no espectro das artes em geral incluindo a multimédia e também é a directora e lider da Editora/Distribuidora de música Lateex. Existem vários projectos associados ao pseudónimo Mary Nymphection, entre quais se destaca o polémico Leite, entre outros pequenos projectos de estúdio, bem como o projecto Mary Nymphection em si. A sonoridade destes projectos varia muito, mas essencialmente combina parte da cultura musical industrial com outros estilos fora dela.

Desde cedo que Maria Ana Flores demonstra um interesse pelo "lado feminino do homem" bem como a androginia, o prazer, o sexo, os cabarets, a noite, as orgias, as tertúlias, a temática Dois-Espíritos e alguns aspectos da ninfomania. O Fetish, o uso excessivo de lingerie e "Hosiery/Legwear"(ing) fazem grande parte da sua vida, pois diz estarem presentes em tudo o que faz sob variadíssimas formas. Posteriormente, abrindo caminho para o seu lado espiritual, Maria fundou a Ordo Domus Salmacis, uma Ordem espiritual e também artística dedicada ao culto da ninfa Salmacis.


A partir de 2018, o nome Mary Nymphection passa a ser usado só como nome de projecto.


Ano de formação:

  • 2014


Editora/Netlabel:

  • Mocho de Prata
  • Korvustronik
  • Folha Eléctrica
  • Azinha.ga
  • SubReakt
  • RevKorv



Início do percurso como artista e o decorrer do tempo

A 23 de Abril de 2014 surge um novo músico no panorama, Feline Machine nos sintetizadores e Spoken Word e assim nasce The Black Carnation Cooperative que lança o seu 1º EP Black Carnation Revolution logo após 4 dias.


Mary Nymphection & The Black Carnation Cooperative

Membros

  • Maria Ana Flores (a.k.a Mary Nymphection) - baixo eléctrico, sintetizadores, sampler, voz, spoken word (2014-presente)
  • Feline Machine - sintetizadores, sampler, spoken word (2014-presente)


EP's / Singles (formato digital)

Parceria com Place de L'Alme

Surge entretanto no horizonte uma parceria com o projecto Place de L'Alme e o lançamento de vários EP's focados em música experimental, Dark ambient, Sampling, Noise, Field recordings e em outras fontes de índole variada. O primeiro trabalho sai no dia 4 de Outubro e intitula-se "The Night Hunters", estando o duo em preparação para mais EP's.

Intercalando com os lançamentos de parceria, Maria vai lançando EP's regulares a solo, começando com The Absence of Chairs e seguido de Kafkian Waves, tudo no mesmo mês.

O Deus do Caos e Apocalypse in the Wedding Day são os últimos trabalhos de 2014, o primeiro com Place de L'Alme e o segundo, o último EP a solo do mesmo ano.


Em 31 de Janeiro de 2015 sai o novo single a solo intitulado "A minha horta" seguido do novo EP intitulado Ruralidades (1 de Fevereiro) onde Maria explora o lado do folk, misturando sons electrónicos e música experimental, um trabalho dedicado ao falecido engenheiro agrónomo Sousa Veloso, comentador de um antigo programa da RTP conhecido como TV Rural.

O próximo EP intitula-se Wasted Past in Lusitania, um trabalho que vagueia entre o Dark ambient, o Experimental e a aproximação a um ambiente ritualista com o uso de samples percussivos.


Em Junho de 2015 Maria é convidada a actuar numa performance ao vivo no Festival de Música Ambiente Snow Black (ver.IV) com o artista e músico italiano Bonnibelle Wlaad (La Corona di Vene) e a modelo/dançarina portuguesa Akasha Báthory, num ritual sombrio que contempla uma sonoridade bem pesada de Dark ambient. Wlaad é convidado a entrar para o projecto Mary Nymphection uns dias antes.


Os trabalhos seguintes prosseguem com o EP denominado Black Carnation Revolution II (do projecto Black Carnation Cooperative), num estilo político que Maria nos tem habituado, The Presence, do projecto a solo e que é lançado a 20 de Junho, com duas faixas que foram tocadas no Festival Snow Black IV.

No mês de Agosto é lançado um single com o projecto Place de L'Alme, desta vez uma faixa intitulada Root e que também consta na compilação Dark Ambient Vol.10 da editora britânica de música ritualista Sombre Soniks. No final do mês de Setembro sai o single Escape from the Zero World, que antecede o novo EP 60 Circles, já com o novo vocalista Bonnibelle Wlaad do projecto italiano La Corona di Vene e que é só lançado a 9 de Janeiro de 2016.

A faixa The Scorpio Tribe é lançada a 2 de Setembro e traduz-se numa fusão de cariz Ritual / Dark ambient, faixa esta que sai igualmente na compilação britânica da editora Sombre Soniks Dark Ambient Vol.12.


A 23 de Fevereiro de 2017 é lançada uma nova compilação da Sombre Soniks "Do What Thou Will II", onde é apresentada uma nova faixa intitulada Unborn, que foi gravada no estúdio pessoal de Maria, com Bonnibelle Wlaad na voz.

Xisto

Influenciada pelo Xamanismo e conjuntamente com Feline Machine nas percussões e didgeridoo, Maria dá origem a algo que parece conter uma sonoridade bem diferente daquela a que nos tem habituado, algo cru e cavernoso, com foco especial no Ritual ambient sombrio e nos ritmos tribais. A ideia inicial do projecto baseia-se no Neolítico e no próprio material rochoso, o xisto, criando assim um ambiente típico para a composição musical, que é única no seu todo.

O Clube da Moca Vermelha (antigo Orrrrrr!)

Cmv desterro 2016.jpg

Esta é uma ideia musical que resulta da parceria com arleqvino do projecto arcano.zero, que conta com inúmeros lançamentos no passado dentro da música experimental. A ideia no universo de O Clube da Moca Vermelha (abreviado para CdMV) é a de explorar sons através de variadas formas e tocando instrumentos não convencionais, que segundo Maria, irão ser adicionados em futuros trabalhos.

Mary Nymphection

Membros

  • Bonnibelle Wlaad - voz, spoken word (2015-presente)
  • Maria Ana Flores (a.k.a Mary Nymphection) - baixo eléctrico, sintetizadores, sampler, voz, spoken word (2014-presente)
  • Feline Machine - sintetizadores, sampler, spoken word (2014-presente)
  • Shane MiG-L - sampler, sequenciador, sintetizadores (2018-presente)


EP's (formato digital)

EP's de colaboração (formato digital)

Singles (formato digital)

Singles de colaboração (formato digital)

  • 2015 - Root [Mary Nymphection & Place de L'Alme] (Agosto)

Compilações (formato digital)

Outros projectos de interesse

Performances ao vivo

  • Festival Snow Black IV (Bonnibelle Wlaad feat. Mary Nymphection), 17 de Junho de 2015


Influências musicais, artísticas e pessoais

Maria cita Tony Banks (Genesis) como uma grande influência para o que faz, dizendo: "Foi e continua a ser uma das minhas maiores influências como teclista, simplesmente divinal em tudo o que faz.".

Genesis P-Orridge (Throbbing Gristle) é uma das outras influências principais que deu fôlego à sua existência como artista e além disso.


A guitarrista Poison Ivy e o vocalista Lux Interior (The Cramps) foram igualmente notáveis presenças ideológicas na vida como artista e performer.


De Portugal surgem também influências cruciais ligadas à música Industrial tais como Stalker Vitki, Orgânica Express, !Calhau! (Von Calhau), arcano.zero, Babalith e Place de L'Alme.


Do mundo do terror e suspense algumas personagens são vistas como uma forte ligação sentimental, sendo que Stephen King, John Carpenter e Wes Craven contribuem como fontes de inspiração.

Ligações externas

Entrevistas


Referências